Contraceção – mais vale prevenir!

 

MÉTODO BARREIRA - PRESERVATIVO

O uso do preservativo masculino, quando utilizado correta e continuadamente, ajuda a prevenir uma gravidez não desejada bem como infeções de transmissão sexual (ITS), como o HIV, clamídia e gonorreia. 

  • É uma proteção desenhada para ser usada sobre o pénis em ereção. 
  • É fácil de usar, não tem contraindicações e é seguros durante a amamentação. 
  • Existem dois tipos de preservativos: látex e poliuretano. 
  • Se houver rutura, há risco de gravidez, podendo recorrer-se à contraceção de emergência, havendo ainda o risco imediato de ter contraído uma ITS, pelo que é importante recorrer ao médico.

DIÁRIA 

Pílula combinada 

  • Contém duas hormonas em pequenas quantidades, o estrogénio e a progesterona. 
  • É o método contracetivo a que a maior parte das pessoas se refere quando menciona a pílula. 
  • Quando se inicia ou muda de pílula, começa-se a embalagem no primeiro dia da menstruação. 
  • É tomada diariamente durante três semanas, seguida de uma semana de interrupção, durante a qual geralmente aparece a menstruação. Recomeça-se ao 8º dia (mesmo que ainda esteja menstruada). 

Pílula sem estrogénio 

  • Esta pílula é eficaz, tal como a pílula combinada, mas contem apenas um progestativo. 
  • A ausência de estrogénio torna-a recomendada para as mulheres em fase de aleitamento, intolerantes ao estrogénio ou que sofram de efeitos secundários relacionados com o estrogénio, provocados pela pílula combinada. 
  •  A pílula sem estrogénio é tomada diariamente sem interrupção, o que torna a sua utilização muito fácil.

SEMANAL 

Sistema transdérmico hormonal 

  • É aplicado pela utilizadora no abdómen, nádegas, braço ou parte superior do corpo – mas não nos seios. 
  • O adesivo é colocado 1 vez por semana, durante 3 semanas consecutivas, seguidas de 1 semana de descanso. 
  • Cada adesivo tem a duração de 7 dias. O primeiro adesivo é colocado no 1º dia de menstruação e após 7 dias deve ser retirado. Coloca-se o segundo ao 8º dia e o terceiro ao 15º dia, a 4ª semana é de descanso.

MENSAL 

Anel vaginal contracetivo 

  • Oferece-lhe proteção contra uma gravidez não desejada durante um mês. 
  • O anel flexível é introduzido pela mulher na vagina, como um tampão. 
  • No primeiro dia de menstruação a mulher coloca-o e só passado três semanas é que o retira. Depois, aguarda uma semana sem anel (altura em que surge a menstruação) e volta a introduzir um novo.

TRIMESTRAL 

Contraceção hormonal injetável 

  • Consiste numa injeção intramuscular de um progestativo. 
  • A hormona é injetada num músculo, geralmente nas nádegas da mulher, mas também pode ser administrada na perna ou no braço. 
  • A injeção deve ser repetida de três em três meses. 

CONTRACEÇÃO DURANTE VÁRIOS ANOS 

Implante contracetivo 

  • Proporciona à mulher proteção contra a gravidez durante três anos. 
  • É colocado por baixo da pele do braço através de um procedimento realizado pelo seu médico. 

Dispositivo intrauterino (DIU) 

  • Baseia-se na combinação de um sistema intrauterino e uma hormona, o progestagénio.
  • Proporciona contraceção até cinco anos. 
  • O sistema intrauterino hormonal é inserido pelo ginecologista diretamente no útero, utilizando um aplicador específico. 

Lembre-se que o seu método de contraceção deve ser uma escolha consciente, feita com a ajuda do seu médico, pois é quem sabe qual o melhor método a escolher de acordo com as necessidades do corpo e/ou patologias, que possam existir.

Ainda assim, na Farmácia da Penha podemos sempre esclacer-lhe quaisquer dúvidas que possa ter sobre os diversos métodos de contraceção, pois estar informada/o, nunca é demais.

Fontes: 

Sociedade Portuguesa da Contraceção 

www.saudereprodutiva.dgs.pt

Voltar