Crianças com febre, o que fazer?

A temperatura de uma criança pode ser medida no reto, ouvido, boca, testa ou axila.

Na primeira semana de vida, a temperatura é habitualmente avaliada na axila, de preferência com termómetro digital ou de coluna líquida com gálio.

A partir da segunda ou terceira semana de vida, a temperatura poderá ser medida no reto ou na axila.

A partir dos 3 anos pode ser realizada a temperatura timpânica.

E a partir dos 5 anos de idade, a temperatura oral.

A temperatura retal é o método mais rigoroso e o que melhor corresponde à temperatura central.É considerada febre se a temperatura retalfor igual ou superiora 38°C.

O que fazer quando a criança tem febre?

  • Tentar manter temperatura ambiente entre 20ºC e 22ºC;
  • Adequar o vestuário e a roupa da cama de modo a que não provoque sobreaquecimento, mas mantenha o conforto;
  • Oferecer líquidos, em pequenas quantidades de cada vez, várias vezes;

       

  • Alimentar sem forçar;

       

  • Os medicamentos antipiréticos (que baixam a febre) não são necessários se a criança estiver confortável;
  • De um modo geral temperaturas axilares, orais ou timpânicas superiores a 38,5ºC ou retais superiores a 39,0ºC causam desconforto;
  • Na criança que mantém a temperatura elevada com desconforto, e após a aplicação das medidas anteriores, poderá ser administrado um antipirético. Utilizar de preferência o Paracetamol. Apenas se a febre reaparecer com intervalos inferiores a 6 horas se deve intercalar outro fármaco, o Ibuprofeno (se este não estiver contraindicado).

O que NÃO fazer quando a criança está com febre?

  • Aquecer a criança colocando-lhe mais roupa. O arrefecimento externo não está recomendado, porque está associado a aumento do desconforto e resulta num aumento da produção de calor;
  • Utilizar antipiréticos mesmo sem febre, para prevenir, em horário fixo (usar em SOS e apenas se for necessário);
  • Querer tratar a febre com antibióticos;
  • Insistir numa alimentação normal e abundante;
  • Atribuir a febre a uma erupção dentária.

Quando recorrer aos serviços de Saúde:

  • Qualquer febre em bebés com menos de três meses de idade;
  • Letargia ou apatia, prostração e/ou gemido;
  • Dificuldade em respirar/alteração da respiração;
  • Aparecimento de manchas ou lesões na pele que não desaparecem com a aplicação de pressão no local;
  • Choro contínuo do bebé ou criança pequena (impossibilidade de consolar a criança);
  • Dor de cabeça, rigidez do pescoço, confusão ou uma combinação destes numa criança mais velha;
  • Desconforto ao urinar, urina com mau cheiro e/ou com cor turva ou diferente do habitual;
  • Recusa total de alimentação, incluindo os líquidos, mais de 2 refeições consecutivas;
  • Sede intensa não saciável;
  • Temperatura axilar ≥ 39,0ºC ou retal ≥ 40,0ºC;
  • Vómitos e dores de cabeça intensas, que se mantêm ou se agravam e/ou diarreia profusa e persistente;
  • Convulsões, alteração do estado de consciência ou do comportamento (irritabilidade, agitação, sonolência);
  • Febre em criança com patologia crónica grave;
  • Febre com duração superior a 5 dias completos ou reaparecimento de febre após 2 a 3 dias de apirexia (sem febre).

A Farmácia da Penha tem profissionais ao seu dispor 24h por dia, que o podem ajudar nestas e outras dúvidas. Tem também o novo serviço CARE by FARMÁCIA DA PENHA, que consiste numa variedade de Serviços de Enfermagem, personalizados e adaptados às suas necessidades, quer na Farmácia, quer no conforto da sua casa, tendo em vista a vigilância,prevenção, promoção e restabelecimento do seu estado de saúde ou do estado de saúde do seu familiar.

Fontes:

Orientação nº 004/2018 de 03/08/2018 - Febre na Criança e no Adolescente – Definição, Medição e Ensino aos Familiares/Cuidadores

www.msdmanuals.com

www.saudecuf.pt

Voltar