Introdução de alimentos na dieta do Bebé

A diversificação alimentar do bebé é uma etapa muito importante no seu desenvolvimento. O que o bebé come nesta fase e a forma como os alimentos são oferecidos influencia as suas preferências e hábitos alimentares para a vida.


Quando iniciar a diversificação alimentar?

A diversificação alimentar do bebé deve ser iniciada o mais próximo possível dos 6 meses.

É nesta altura que o leite materno ou o leite de substituição (fórmula) já não chegam para satisfazer as necessidades nutricionais do bebé.

O seu bebé estará pronto para a diversificação alimentar quando:

  • conseguir ficar sentado com apoio, com um bom controlo da cabeça.
  • demonstrar interesse pela comida, tentando alcançar, salivando ou abrindo a boca quando vê algum alimento.
  • demonstrar fome constantemente, mesmo depois de tentar amamentar com mais frequência ou aumentar as quantidades de leite oferecidas no biberão.
  • conseguir retirar os alimentos de uma colher e engoli-los, mesmo que nas primeiras refeições estes alimentos tenham que ter uma consistência mais líquida.

A diversificação alimentar não deve ser iniciada antes das 17 semanas, nem adiada para além das 26 semanas de vida do bebé.

Recomendações importantes sobre a diversificação alimentar:

  • Cada alimento novo deve ser oferecido por 4 ou 5 dias para que o bebé se habitue ao novo paladar e de modo que seja mais fácil identificar o alimento responsável no caso de alergia ou intolerância.
  • Não utilizar sal, açúcar ou mel na alimentação do bebé.
  • A água deve ser a bebida de eleição para satisfazer a sede.
  • A alimentação do bebé à colher deve passar de uma consistência semilíquida ou cremosa, aveludada e sem grumos até chegar a uma consistência mais sólida, com os alimentos em pequenos pedaços ou amassados (esta evolução é importante para que o bebé aprenda a mastigar e a aceitar as diferentes texturas dos alimentos; se tal não acontece até aos 10 meses, mais tarde será muito mais difícil).
  • Permitir que o bebé veja, cheire e toque nos alimentos.
  • Incentivar o bebé a provar os alimentos, mas nunca o pressionar a comê-los.
  • Aprender a reconhecer os sinais de fome e saciedade do bebé.
  • Nunca deixar o bebé sozinho enquanto come.

SOPA

Deverá ser uma sopa simples, em puré, confecionada com 4 legumes escolhidos entre batata, couve-flor, curgete, cebola, alho francês, cenoura ou abóbora, alface ou brócolo.

CARNE

Quando a criança estiver adaptada ao puré de legumes introduz-se o caldo de carne: coze-se a carne magra (sem peles e sem gorduras) com os legumes e retira-se a carne no final (não se dá a carne à criança). Ultrapassada esta fase de transição, a carne é cozida, triturada e dada no puré de legumes.

PEIXE

A criança poderá iniciar a alimentação de peixe ao 9º mês, retirando-se cuidadosamente as espinhas. O peixe deverá ser branco e cozido juntamente com o puré de legumes.

FRUTA

Deverá ser oferecida como sobremesa, ou seja, após a refeição. Começar com maçã, pera ou banana.

OVO

A partir dos 9 meses pode introduzir-se a gema do ovo cozida. Na refeição em que se oferece gema não se deve oferecer carne ou peixe. Começar por metade da gema e só depois a gema inteira. Depois dos 12 meses poderá oferecer o ovo inteiro.

Na Farmácia da Penha podemos ajudá-la com estas e outras dúvidas.

 

Fontes:

www.papabem.pt

www.saudecuf.pt

www.hospitaldaluz.pt

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA, Secretaria Regional dos Assuntos Sociais, Direcção Regional de Planeamento e Saúde Pública, Comer com saber…no primeiro ano de vida, Funchal: DRSP, 2006, 52p.

Voltar