Medicamentos e condução - Viagens (in)seguras

SOB O EFEITO DOS MEDICAMENTOS

Conduzir implica que as capacidades físicas e psíquicas do condutor estejam em perfeitas condições, o que pode não acontecer quando se tomam medicamentos, sejam estes sujeitos ou não a receita médica. E atenção, o mesmo pode acontecer para medicamentos, à base de plantas, mais conhecidos popularmente, como "medicamentos naturais".

A relação entre os medicamentos que actuam no sistema nervoso (depressão, ansiedade ou indutores do sono) e a condução é bem conhecida, pois estes interferem na atenção e vigilância bem como no tempo de avaliação e reação e ainda no desempenho motor a nível muscular.

Relativamente aos medicamentos não sujeitos a receita médica, mais conhecidos como medicamentos de venda livre, muitas vezes usados para auto-medicação (para gripes, alergias, constipações, dores, febre ou mesmo gotas para os olhos) deve ficar alerta também, pois estes também implicam riscos uma vez que podem afectar a visão, a concentração e a coordenação motora.

Muitos dos riscos são denunciados por sintomas como:

  • sonolência
  • náuseas
  • vertigens, tonturas e sensação de fraqueza
  • tremores e movimentos involuntários
  • perturbações da visão
  • confusão
  • perda da noção de perigo
  • agressividade
  • entre outros...

Mas o risco ainda pode aumentar se se conjugarem outros fatores como:

  • a idade : nos idosos a eliminação dos produtos é mais lenta e como tal os medicamentos podem acumular-se no organismo em pequenas doses e terem um efeito mais prolongado que o habitual.
  • polimedicação: a combinação de vários medicamentos aumenta o risco.
  • o consumo de álcool: combinados com medicamentos os efeitos sobre a capacidade de concentração multiplicam-se.

CONDUZIR EM SEGURANÇA

Não existem medicamentos inócuos, por isso a melhor decisão é apostar na prevenção. Faça um uso seguro dos medicamentos:

  • informe-se sobre os efeitos secundários de cada medicamento, bem como sobre a sua posologia.
  • se vai tomar um medicamento pela primeira vez, tente saber como o seu organismo reage, antes de o tomar e ir conduzir (por exemplo, experimente iniciar o medicamento num dia em que saiba que não vai conduzir, no caso de sentir sono, já sabe que o seu corpo reage desta forma ao medicamento e que o melhor será não tomar o medicamento e conduzir em seguida).
  • se toma vários medicamentos em simultâneo convém saber se estes interagem entre si, informe-se connosco.
  • não tome medicamento prescritos a outras pessoas, cada organismo reage de forma diferente à mesma substância.
  • esteja atento às reções do seu organismo, ao mínimo sinal de alerta interrompa a condução.
  • descanse, pois a falta de sonos em dia pode agravar os efeitos secundários dos medicamentos.

A equipa da Farmácia da Penha está sempre dispónível para o esclarecer sobre os efeitos secundários e interações dos medicamentos que toma bem como se estes afectam ou não a condução. Fale connosco,  um condutor informado vale por dois!

 

In: ISaúde

 

Voltar