Menopausa: o que esperar?

A menopausa é um processo biológico natural e perfeitamente normal na vida da mulher,assinalando o fim da fertilidade.

Corresponde ao fim das menstruações espontâneas e pode ser confirmada após doze meses consecutivos sem qualquer período menstrual(mulheres que não desejem engravidar devem usar métodos anticoncepcionais até um ano após a última menstruação).

A idade média em que ocorre a menopausa espontânea na população portuguesa ronda os 48 anos, podendo ocorrer entre os 40 e os 58 anos. Alguns casos ocorrem muito precocemente (perto dos 30) e outros são mais tardios (por volta dos 60 anos de idade).

O que é a Menopausa?

É a consequência da redução da atividade dos ovários, que deixam de libertar óvulos todos os meses. Ao mesmo tempo, os estrogénios (hormonas femininas) começam a ser produzidos em menor quantidade.

Numa primeira fase, os ciclos tornam-se mais curtos, mantendo alguma regularidade,sendo que mais tarde se tornam irregulares, sucedendo-se ciclos de duração muito variável. A amenorreia (ausência de menstruação normal) definitiva surge ao fim de algum tempo.

Embora seja um processo normal, as alterações associadas à menopausa têm um impacto importante em diversos aspetos da vida da mulher, podendo esta etapa ser um período bastante difícil.

Quais os sintomas?

Os sintomas da menopausa podem começar anos antes do fim dos períodos menstruais e resultam fundamentalmente da carência de estrogénios, o que se manifesta em diversos órgãos e sistemas.

Sintomas mais precoces da menopausa resultam de perturbações vasomotoras, psicológicas e genito-urinárias:

  • Ondas de calor ou «afrontamentos» e suores noturnos são as queixas mais comuns. Estes podem estar relacionadas com flutuações dos níveis hormonais;

            

  • Dificuldade em adormecer e manter a continuidade do sono, bem como insónias matinais, sendo que podem surgir também sintomas depressivos e alterações do humor;

           

  • Perturbações genito-urinárias como secura da mucosa vaginal, o que pode provocar irritação e dores associadas às relações sexuais. Há, também, maior tendência para infeções urinárias.

Sintomas mais tardios da menopausa ocorrem a nível cerebral, cutâneo, articular, cardiovascular, ósseo e no peso:

  • Maior incidência de doença de Alzheimer e maior risco de acidentes vasculares cerebrais;
  • Menor elasticidade da pele, com o aparecimento mais intenso de «rugas»;
  • Queixas articulares, sobretudo ao nível das mãos;
  • Níveis do colesterol LDL (o colesterol mau) elevados;
  • Maior incidência de enfarte agudo do miocárdio a partir dos 50 anos;
  • Aumento da ocorrência de osteoporose e ganho de peso.

        

Para muitas mulheres, não é necessário qualquer tratamento porque os sintomas tendem a desaparecer por si mesmos ou porque as mulheres conseguem tolerá-los sem grande desconforto.

O controlo dos sintomas da menopausa passa pelo uso de contraceptivos de baixa dosagem, o que diminui os afrontamentos, a secura vaginal e as alterações do humor. Podem ainda ser utilizados medicamentos de outras classes para controlar os sintomas. A seleção do tratamento deverá ser sempre individualizada e definida pelo seu médico.

Introduzir alterações no estilo de vida e na dieta, praticar exercício físico e reduzir os níveis de stress são algumas estratégias que permitem aliviar os sintomas típicos da menopausa.

É importante parar de fumar, uma vez que as mulheres fumadoras iniciam a menopausa um a dois anos mais cedo do que as não fumadoras.

 

Fontes:

www.msdmanuals.com

www.saudecuf.pt

Voltar