Probióticos e Prebióticos, conhece a diferença?

Uma flora intestinal saudável e equilibrada resulta num bom desempenho das suas funções fisiológicas e consequentemente numa melhoria da sua qualidade de vida.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), os probióticos definem-se como “organismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefícios à saúde” (FAO/WHO,2001). Os probióticos têm efeito sobre o equilíbrio bacteriano intestinal, e consequentemente dão origem a um controlo do colesterol, diarreias, sistema imunitário, aumento da absorção de minerais e vitaminas, flatulência, diminuição da distensão abdominal e redução do risco de doenças cardiovasculares e inflamatórias, entre outros benefícios. Podem integrar os componentes de alimentos industrializados como leites fermentados, iogurtes, sobremesas a base de leite, leite em pó, gelados e queijos, ou podem ser encontrados na farmácia, na forma de pó ou cápsulas.

Simplificando, os probióticos são bactérias benéficas vivas, que reforçam os mecanismos naturais de defesa do organismo.

Por sua vez os prebióticos, são como que alimentos para essas bactérias, ou seja, são tipos de fibras que resistem ao processo de digestão e, no intestino, vão favorecer a multiplicação das bactérias benéficas.

Existem ainda os simbióticos que são uma combinação de prebióticos com probióticos, considerados essenciais para a manutenção da saúde intestinal, pois melhoram a sobrevivência do probiótico no organismo, pois o seu substrato específico é fornecido pelo prebiótico que vai estar sempre presente se houver esta administração simultânea.

Na Farmácia da Penha poderá encontrar profissionais qualificados para lhe esclarecer qualquer dúvida sobre este assunto e ainda receber o devido aconselhamento específico para cada caso.

Voltar