Sabe o que são Hepatites Virais?

Uma hepatite crónica é uma hepatite que não se cura ao fim de 6 meses, por sua vez uma hepatite viral pode, geralmente, resolver-se, entre 4 a 8 semanas.

As hepatites virais podem afetar qualquer ser humano, independentemente da idade, sexo, raça e estrato socioeconómico.

SINAIS DE ALERTA 

As hepatites são por vezes doenças “silenciosas” que, mesmo na fase aguda, podem não provocam qualquer sintoma. Quando a infeção se faz notar, os sintomas podem ser inespecíficos, semelhantes a uma gripe. Mas geralmente evoluem para: 

  • Icterícia (coloração amarelada da pele e das escleróticas, a parte branca dos olhos); 
  • Colúria (coloração escura da urina); 
  • Cansaço; 
  • Falta de apetite; 
  • Náuseas e vómitos.

 

Hepatites A e E 

Os vírus VHA e VHE comportam-se de maneira semelhante. A sua forma de transmissão diz-se ‘fecal-oral’, ou seja, ocorre através da ingestão de água ou alimentos contaminados por pessoas infetadas (que não tomaram precauções de higiene) ou diretamente de uma pessoa infetada para outra. Os vírus são eliminados nas fezes dos doentes, o que torna o contágio fácil. 

MEDIDAS DE PREVENÇÃO 

Estas medidas são especialmente importantes para quem viajar para países menos desenvolvidos em que os cuidados de saúde são mais precários: 

  • Limpeza dos alimentos: lave bem os alimentos antes de os ingerir.
  • Escolha bem os alimentos: prefira alimentos embalados ou cozinhados a altas temperaturas (o vapor não neutraliza o vírus).
  • Atenção à água: beba água engarrafada ou previamente fervida a 98º (atenção aos cubos de gelo nas bebidas!). 
  • Cuidados de higiene:redobre os cuidados de higiene quando for à casa de banho, evitando o contacto direto com a sanita e lavando sempre bem as mãos.
  • Vacinação: pondere vacinar-se previamente contra a Hepatite A. Consulte o seu médico antes de viajar para países menos desenvolvidos. 

Hepatites B, C e D 

A transmissão do VHB, VHC e VHD faz-se predominantemente por via sanguínea e através da partilha de material infetado por utilizadores de drogas endovenosas. A transmissão sexual dos vírus das hepatites ocorre mais frequentemente com o VHB e VHD, no entanto, nos últimos anos tem-se verificado surtos de infeção aguda por VHC por via sexual. 

MEDIDAS DE PREVENÇÃO 

  • Cuidados na partilha de objetos: evite partilhar objetos pessoais, tais como escovas de dentes, brincos e corta unhas e nunca partilhe agulhas ou seringas.
  • Limpeza de objetos partilhados: assegure a esterilização prévia de qualquer objeto cortante partilhado, seja a navalha do barbeiro ou a agulha usada para fazer um piercing ou tatuagem. 
  • Uso de preservativo: usar preservativo é o único método eficaz para evitar a transmissão sexual do VHB, VHC e VHE.
  • Vacinação: a vacina VHB faz parte do Programa Nacional de Vacinação (PNV) há alguns anos e as crianças portuguesas estão imunizadas – no entanto, os adultos considerados “de risco” podem e devem recorrer à vacinação. 

 

A vacinação é fundamental para a prevenção desta doença. Ao vacinar-se não se protege apenas a si mas também a restante população, evitando surtos da doença.

Fontes: Núcleo de Gastrenterologia dos Hospitais Distritais (NGHD) 

Portaria n.º 97/2018 de 9 de abril https://rotasaude.lusiadas.pt

Voltar